Arquivo mensal: julho 2014

On Va Manger: para ir direto à sobremesa

On Va Manger é o perfeito exemplo do restaurante no qual é obrigatório escolher o prato já pensando em guardar espaço no estômago para a sobremesa. Nesse novo bistrô francês de São Paulo, aberto há cerca de dois meses na Bela Vista, os doces são excepcionais e, indo de clássicos franceses a norte-americanos, valem sozinhos uma visita ao local.

Bolo de amendoim crocante do bistrô e café On Va Manger

Bolo de amendoim crocante do bistrô e café On Va Manger

O On Va Manger foi aberto por um chef francês em sociedade com a proprietária da doceria Maison de Marie, do Butantã. Por enquanto, abre apenas para o almoço com um menu enxuto e a preço fechado: entrada, prato principal e sobremesa saem por R$ 34,50. Os doces ficam em uma vitrine na entrada da casa e, após a refeição, o cliente é convidado a voltar ao balcão e escolher a guloseima que mais lhe atrair.

O restaurante abre das 12h às 16h, mas, sabendo do grande potencial de sua confeitaria, funciona parcialmente como café das 10h às 19h. Por isso, é possível provar os doces a qualquer hora do dia com um bom café acomodado em uma das pequenas mesas posicionadas na entrada da casa.

Torta de amêndoas, uma das especialidades entre as sobremesas do On Va Manger

Torta de amêndoas, uma das especialidades entre as sobremesas do On Va Manger

Um dos destaques da vitrine, indicado pela atendente como uma das especialidades do local, é a torta de amêndoas (R$ 6,50). Feita sem farinha de trigo, tem sabor intenso e é coberta por uma senhora camada de açúcar de confeiteiro. Daqueles doces que você termina o pedaço sabendo que vai ter que voltar em breve para comer outro.

Na segunda passagem por lá, pulei o almoço e pedi um bolo com café. Saí ainda mais satisfeita e encantada com o bolo de amendoim crocante (R$ 6,20). Com camadas de pão de ló macio e bem molhado, creme de baunilha consistente e de sabor suave, deixa o show para o amendoim caramelizado que vai por cima roubando as atenções.

Cannelé, bolinho francês de baunilha, do bistrô On Va Manger

Cannelé, bolinho francês de baunilha, do bistrô On Va Manger

Vale provar também o cannelé (R$ 4,60). O quitute francês pouco conhecido por aqui é um bolinho de baunilha e rum não muito doce com casquinha caramelizada crocante e interior cremoso, quase como um pudim. Faltou experimentar o mil folhas, que é montado na hora e tem recebido elogios. A vitrine tem ainda macarons, mousses, pavês, quindim e cheesecakes.

O On Va Manger fica próximo ao shopping Frei Caneca e a um quarteirão de distância da casa de bolos Dolce Helena.

On Va Manger
Rua São Miguel, 89, Bela Vista. Tel.: 4561-1562
Site: www.facebook.com/onva.manger.50
Anúncios

Bamboleiras: um food truck de ótimos bolos

Desde o início do ano, a cidade de São Paulo mal teve tempo de processar as novas regras para comida de rua e se viu invadida por food trucks prontos para circular. A variedade é interessante: tem van de massas, sanduíches, fish and chips, crepes, temakis, acarajés e bebidas alcoólicas. E agora, para o café da manhã ou da tarde, tem food truck de bolo.

As Bamboleiras Ariane Guimarães e Claudia Daroncho em seu food truck (Divulgação)

As Bamboleiras Ariane Guimarães e Claudia Daroncho em seu food truck (Divulgação)

O Bamboleiras – Café, Bolos e Mimos foi para a rua há cerca de três meses. Seu principal produto são bolos individuais, dos clássicos, como o formigueiro e o gelado de coco, a outros um pouco mais autorais, como de canela com calda de damasco. O veículo, no entanto, não se resume a isso e leva também outros doces com gosto de infância, como guarda-chuva de chocolate (aqui feito com matéria-prima belga) e pavês. Tudo isso pode ser acompanhado de um delicioso café ou, para os mais nostálgicos, groselha.

Por trás do volante estão Claudia Daroncho, engenheira de formação, e Ariane Guimarães, administradora de empresas. Elas se conheceram em 2009 em um curso de confeitaria e panificação e, no ano seguinte, decidiram unir forças. Por anos alimentaram o sonho de abrir uma confeitaria, que nunca saiu do papel. “Percebemos que as despesas estariam acima do que pretendíamos. Como não queríamos desistir, o truck foi uma alternativa”, conta Claudia.

Bolo de canela com calda de damasco das Bamboleiras

Bolo de canela com calda de damasco do food truck Bamboleiras

Os doces são produzidos em uma cozinha no bairro da Casa Verde. “Os bolos são assados diariamente, e, dependendo do nosso horário de circulação, são finalizados no mesmo dia ou no fim do dia anterior”, diz. O veículo não sai da garagem todos os dias, mas, quando sai, Claudia afirma que tem feito sucesso. “Muitos se aproximam pelo fato do carro ser colorido e chamativo, outros querem saber quais são os sabores da infância de que falamos.”

Peguei o Bamboleiras em uma bela manhã de fim de semana. Os bolos, pequenos à primeira vista, têm um bom tamanho para saciar o desejo por doce. O de canela com calda de damasco (R$ 6) estava bastante fofo e com gosto bem leve da canela, enquanto a calda servia para dar uma molhadinha na massa sem interferir muito no sabor. Outra combinação deliciosa e bem equilibrada foi o de paçoca com recheio de doce de leite (R$ 10) – recheio muito cremoso e bolo macio e bastante doce. Dos clássicos, o gelado de coco (R$ 6) estava tão bom quanto as melhores lembranças da infância. Bem açucarado e calórico, mas vale cada mordida.

Bolo de paçoca com doce de leite do food truck Bamboleiras

Bolo de paçoca com doce de leite do food truck Bamboleiras debaixo do sol forte da manhã

A agenda das Bamboleiras pode ser conferida regularmente na página da dupla no Facebook ou no perfil no Instagram. Claudia e Ariane também fazem produtos para entrega em casa.

Bamboleiras
Site: www.bamboleiras.com.br
www.facebook.com/bamboleiras
Tel.: 2764-9070
Aceita todos os cartões (débito e crédito)

Sonhos da Dulca entregues em casa

Todos os doces de padaria queriam ser como os sonhos da Dulca. Tradicional, reconfortante, simples em sua concepção e perfeito na execução. Sua massa é leve, fofa, e é recheada com um creme de confeiteiro com sabor de baunilha para valer, com uma textura delicada, verdadeiramente cremosa, e na quantidade ideal para estar presente em cada mordida.

Sonho da doceria Dulca entregue em casa

Sonho da doceria Dulca entregue em casa

Eles são produzidos desde a década de 1950 com uma receita que foi sendo aperfeiçoada com o passar das décadas. E este ano, para se adaptar ainda mais aos tempos, a Dulca aderiu a um sistema de entrega. Agora, com um pequeno planejamento, é possível provar esses sonhos delirantes – e outras delícias – sem sair de casa e com dia marcado. Resolvi provar o serviço e, nesse teste único, ele funcionou bastante bem.

A encomenda é feita pelo site Rakuten a partir de um link na página oficial da Dulca. Lá, é possível colocar na sacola de compras, além dos sonhos, produtos como bombas, tortas, brigadeiros, chocolates e pães. Pedi quatro sonhos por R$ 7 cada e uma embalagem de croissants de 160gr por R$ 12.

Depois de passar pelos procedimentos normais de cadastro, é possível agendar a entrega. O agendamento, em geral, pode ser feito para qualquer dia útil, em horário comercial, contando a partir do segundo dia depois da compra. Fiz o pedido no início da semana e marquei a entrega para a sexta-feira.

Os sonhos chegaram no dia marcado, no período da manhã. Vieram em uma enorme caixa de isopor (grande demais, poderiam diminuir pelo bem do planeta) bem lacrada e com aviso de que se tratava de alimento perecível. Dentro, duas caixas de papelão lacradas com plástico: a maior acomodava bem os sonhos sem nenhum aperto enquanto a menor guardava os croissants.

Doces da Dulca entregues em casa: caixas embaladas em plástico lacrado

Doces da Dulca entregues em casa: caixas embaladas em plástico lacrado

Tanto os sonhos quanto os croissants estavam fresquíssimos e em perfeitas condições. Garantiram uma sexta-feira de alegria e eu só tive o trabalho de fazer o café.

Dulca
Site oficial: dulca.com.br