Arquivo da tag: sorvete artesanal

Le Botteghe di Leonardo: bons sorvetes italianos

Mais uma sorveteria abriu em São Paulo no último mês. Mais uma prometendo sorvetes artesanais, com bons ingredientes. Mais uma na rua Oscar Freire. Andando apenas por essa mesma rua na tarde do último domingo, passei pela Ben & Jerry’s (lotada), uma Bacio di Latte (lotada) e pela Purogusto (apenas cheia), sem contar a inglesa Dri Dri um quarteirão acima. Para abrir mais uma sorveteria nessa região, é preciso ter muita confiança no produto. E a confiança se justifica.

Sorvetes de café, pistache e morango da sorveteria Le Botteghe di Leonardo

Sorvetes de café, pistache e morango da sorveteria Le Botteghe di Leonardo

Nascida na Itália em 2010, a gelateria Le Botteghe di Leonardo oferece sorvetes saborosos e cremosos com uma boa variedade de sabores disponíveis no dia, ainda que sem fugir muito do tradicional. Provei Cioccolato al latte, que vem doce sem exagero e com pedaços muito pequenos de chocolate, um Pistacchio bastante aveludado, Caffè e Fragola (morango), azedinho e bem refrescante. Há ainda opções como baunilha, coco, gianduia e mascarpone e entre as versões de frutas estão manga, papaia e kiwi com banana.

O sorvete da Le Botteghe di Leonardo, é, segundo a marca, “livre de gorduras vegetais, conservantes” e “qualquer aditivo ou emulsionante químico”. Visando ainda preservar a qualidade, os sorvetes não estão abertos aos olhos do cliente, ficando guardados nos “pozzettos”, recipientes metálicos fechados nos quais a temperatura é controlada. E começam a derreter logo depois de servidos. Os sabores são anunciados na parede atrás do caixa e em pequenas placas à frente dos pozzettos.

Sorveteria Le Botteghe di Leonardo: sabores exibidos na parede, sorvetes guardados em pozzettos

Sorveteria Le Botteghe di Leonardo: sabores exibidos na parede, sorvetes guardados em pozzettos

Meu copo grande com quatro sabores saiu R$ 14. O médio custa R$ 12, o pequeno, R$ 10 e há o tamanho mini por R$ 6. Na casquinha, os preços sãos os mesmos e a casa serve também picolés, biscoitos recheados com sorvete e bolos de sorvete por encomenda, além de bebidas quentes, como café (R$ 4,80), e geladas, como o Iced Cappuccino (R$ 13,10).

A marca possui lojas na Itália e na China e abriu as portas em São Paulo no final de fevereiro, quando o verão já se despedia. Mas sua mesa coletiva estava cheia nesse domingo nublado. Em frente, há outro espaço para sentar e aproveitar o sorvete sem pressa: estava estacionado ali um parklet, uma daquelas minipraças que ocupam uma vaga de carro e prolongam a calçada. Nesse dia, por conta da chuva, ele estava molhado e melancólico, mas em dias mais secos poderá ser uma ótima alternativa.

Le Botteghe di Leonardo
Rua Oscar Freire, 42, Jardins. Tel.: 2528-2000
www.lebotteghedileonardo.com.br

Anúncios

Purogusto: sorvetes cremosos e suaves na Oscar Freire

Foram tantas as sorveterias abertas em São Paulo nos últimos meses – como Frida & Mina e Casa Elli – que o verão pareceu curto. Mas o clima resolveu dar uma segunda chance e trouxe de volta o sol à cidade esta semana. Aproveitei a tarde ensolarada de domingo para conhecer a Purogusto.

Aberta na Oscar Freire em novembro de 2013, a Purogusto segue a cartilha italiana e afirma servir sorvetes totalmente artesanais.

Sorvetes de pistache, gianduia e caramelo com flor de sal na sorveteria Purogusto

Sorvetes de pistache, gianduia e caramelo com flor de sal na sorveteria Purogusto

Provei cinco sabores e em todos se vê um padrão: eles são bastante cremosos e a textura se mantém enquanto se aproveita o sorvete sem pressa, sem que ele derreta rápido demais. Outro ponto em comum é que os sabores são bastante sutis – às vezes até demais.

Duas lousas presas à parede atrás do balcão apresentavam, a giz, os sabores disponíveis no dia, uma anunciando as opções à base de leite e a outra, os sabores à base de água. Entre esses, havia sugestões como chocolate light, jabuticaba e açaí com banana, mas não resisti aos de leite, em sabores mais tradicionais, e fiquei só neles.

O de limão é bem refrescante e tem sabor delicado e equilibrado, enquanto pistache e gianduia estavam gostosos, com ótima textura e não muito doces. O caramelo com flor de sal, no entanto, estava um pouco salgado demais, enquanto o de baunilha pecou por estar muito apagado.

O copo pequeno, com até dois sabores, sai por R$ 10, enquanto o médio com até três sabores custa R$ 12 e o grande, R$ 14. O isopor com meio quilo fica em R$ 35.

O ambiente é espaçoso e, apesar do movimento razoável daquela tarde, foi possível sentar, e o atendimento foi ágil, sem fila. Não é o melhor sorvete da região – o mais famoso Bacio de Latte, por exemplo, está nas redondezas -, mas vale provar.

Purogusto
Rua Oscar Freire, 502. Tel.: 3062-1862
Site oficial: http://www.purogusto.com.br

Casa Elli: sorvetes artesanais entre erros e acertos

Como o delicioso Frida & Mina, a sorveteria Casa Elli abriu em São Paulo na virada do inverno para a primavera e chega com a promessa de sorvetes preparados com ingredientes naturais e orgânicos, sem bases industrializadas. Mas o resultado não é o mesmo da ótima casa de Pinheiros.

Sorvetes da pistache, gianduia e frutas silvestres da Casa Elli, em São Paulo

Sorvetes da pistache, gianduia e frutas silvestres da Casa Elli, em São Paulo

A localização da Casa Elli é ótima, fica na Alameda Tietê quase na esquina com a rua Augusta. Fui até lá a pé num domingo de muito calor depois de uma sessão de cinema na Paulista. Na volta, a subidinha até ajuda a compensar as calorias ingeridas.

O espaço é pequeno e estreito e com uma dúzia de pessoas na fila já se tem a sensação de confusão, mas o ambiente é clean e agradável apesar da música italiana cafona que tocava no dia.

Os sorvetes ficam fechados em recipientes metálicos para manter a temperatura correta, mas os sabores disponíveis no dia estão expostos em plaquinhas na parede logo na entrada e depois, novamente, atrás do balcão.

Há muitas opções com frutas, várias sem adição de açúcar e algumas sem leite, um atrativo para clientes diversos. Dos sabores que provei, o pistache estava bastante cremoso e saboroso. Também gostei do gianduia, menos cremoso,  mas com sabor forte e não muito doce, mas o de frutas vermelhas, também sem açúcar, estava azedo demais. Deixei pela metade.

Sorvete de baunilha da Casa Elli com pontinhos pretos, o mais saboroso do dia

Sorvete de baunilha da Casa Elli com pontinhos pretos, o mais saboroso do dia

O namorado, menos guloso, pegou apenas baunilha. Também sem açúcar mas bastante doce, com pontinhos pretos da baunilha evidentes, foi o mais gostoso dos que provamos. Mas a verdade é que nenhum deles impressionou.

Os preços estão de acordo com outras sorveterias da cidade. Os potes pequeno e médio podem ter até dois sabores e custam R$ 10 e R 12, respectivamente. O pote grande pode levar três sabores e sai por R$ 15. O ainda maior, para os fortes, custa R$ 18.

Casa Elli
Alameda Tietê, 163, Jardim Paulista. Tel: (11) 3063-4741
www.casaelli.com

Frida & Mina: sorveteria artesanal foge do óbvio

O calor esse ano está se fazendo de difícil em São Paulo, mas, na expectativa, no final do inverno já começaram a pipocar novas sorveterias na cidade esperando a chegada de dias como esta segunda-feira de 35 graus. Uma delas é a sorveteria artesanal Frida & Mina, em Pinheiros.

O lugar ocupa uma esquina, mas é pequenininho e quando fui lá conhecer, em uma tarde no meio da semana, estava cheio, com uma pequena fila. Enquanto se espera para ser atendido, é legal observar a cozinha aparente, protegida apenas por um vidro. Nela um trabalhador solitário fazia as casquinhas, uma a uma, ao mesmo tempo em que preparava um novo pote de sorvete.

Frida & Mina: sorvete artesanval de caramelo com flor de sal e morango balsâmico

Frida & Mina: sorvete artesanal de caramelo com flor de sal e morango balsâmico

Todas as opções ali eram à base de leite e a maioria fugia do corriqueiro: das mais comuns, chocolate, coco queimado, doce de leite e limão. Entre os outros sabores disponíveis estavam cerveja com chocolate, chá e gengibre com mel. Os proprietários afirmam que só usam ingredientes naturais e frescos, alguns orgânicos.

Pedi três bolas para poder provar mais sabores (pura obrigação profissional!): caramelo com flor de sal, o melhor, bem equilibrado e muito saboroso; morango balsâmico, com um azedinho incrível; e crocante de macadâmia, o único que não merece um adjetivo empolgado. Bom, mas ainda prefiro o da Haagen Dazs.

Gastei R$ 13 e achei um dinheiro muito bem gasto. Uma bola sai por R$ 7 e duas bolas, R$ 10. Na primeira compra, a casa dá um cartão fidelidade: o sexto sorvete, eles prometem, será de graça.

Há bancos na calçada e uma sala no andar superior, com espaço para acomodar cerca de dez pessoas. A água filtrada é cortesia.

Frida & Mina Sorvete Artesanal
Rua Artur de Azevedo, 1.147, Pinheiros. Tel: (11) 2579-1444
http://www.fridaemina.com.br/